No dia 5 de março, na ESTSetúbal, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) dinamizou o Workshop “À Mesa: 100 Mitos”.
“À medida que se torna cada vez mais complexa a alimentação, vão-se criando uma série de preconceitos e de ideias que se vão formando e que, às vezes, se transformam em mitos e que não gostaríamos que permanecessem, porque podem ser nefastas para o normal funcionamento dos mercados agrícolas e alimentares” disse o Diretor-Geral da DGAV, Fernando Bernardo, na apresentação da publicação do livro “À Mesa: 100 Mitos” (disponível para download aqui). A procura de um elevado nível de proteção da vida e da saúde humanas é um dos objetivos fundamentais da legislação alimentar.
Não obstante, os requisitos regulamentados deverão ter flexibilidade suficiente para serem aplicáveis em todas as situações, sem que se comprometam os objetivos de higiene. A flexibilidade também permite a continuação da utilização de métodos tradicionais em qualquer das fases de produção e em relação aos requisitos estruturais para os estabelecimentos. A flexibilidade é particularmente importante para as regiões sujeitas a condicionalismos geográficos especiais.
Contudo, à medida que vai crescendo o corpo de conhecimentos da cultura gastronómica, vão também surgindo e sendo construídas crenças e formadas convicções que, muitas vezes, não têm qualquer fundamento científico, nem técnico, nem legal – assim surgem os “mitos”.
Neste workshop, perante uma audiência de cerca de 70 participantes (membros da comunidade IPS e também representantes externos de estabelecimentos de restauração e bebidas, IPSS, distribuição alimentar, etc), a DGAV abordou e procurou esclarecer alguns destes “mitos”.
No final do workshop, todos os presentes receberam um exemplar do livro “À Mesa: 100 Mitos”.

Programa

Previous Post Next Post